Atuação macabra. Polícia prende homem que surrupiava placas em cemitério

A polícia recuperou várias das placas
surrupiadas pelo Fantasma de Rio Novo do sul
Já está no xilindró o cidadão Welico Barroso Gomes, 22 anos, residente no Bairro Santo Antônio, em Rio Novo do Sul. Ele, que está sendo chamado de Fantasma de Rio Novo do Sul, foi preso em flagrante quando vendia placas de bronze que retirava das lápides do cemitério da cidade na calada da noite.

Welico esperava o anoitecer para invadir o cemitério e, no silêncio noturno, tal e qual uma alma penada percorria o cemitério procurando placas de bronzes em sepulturas para afaná-las. Ele preferia agir durante a noite para aproveitar o silêncio sepulcral, o nevoeiro e a ausência de pessoas que o identificassem.

A atuação do Fantasma de Rio Novo do Sul despertou a atenção da polícia a partir do momento que pessoas que ao visitarem os túmulos de seus entes queridos, constataram a ausências das placas de bronze identificativas. O assunto tomou conta da cidade e deixou as pessoas indignadas.

Dezenas de sepulturas foram violadas sem que a polícia conseguisse encontrar o culpado, até que em uma ronda preventiva, Welico foi flagrado tentando vender as placas. Em seu poder os policiais encontraram várias partes metálicas arrancadas de sepulturas.

Sem reagir à prisão, o invasor de cemitérios foi levado para a Delegacia de Polícia da cidade, onde prestou depoimento e depois foi encaminhado ao Centro de Detenção Provisória, onde se encontra à disposição da justiça. Segundo o delegado, será investigado se ele tinha receptadores.



Chuvas provocam enchentes no interior e na sede a situação é de alerta geral

Situação do Rio Itaúnas próximo à ponte, no centro da cidade O Córrego Tatu, no Distrito de Santo Antônio, em Barra de São Francisco...

Postagens mais visitadas