Deputado é punido com isolamento ao entrar em presídio com alimentos na cueca

Deputado Celso Jacob tentou enganar
os agentes penitenciários
A cueca continua sendo um objeto indispensável aos políticos. Tanto é que o deputado Celso Jacob (PMDB/RJ) acaba de ser punido por fazer uso da peça íntima masculina. E não foi para guardar dinheiro. No seu caso, ele usou para esconder biscoitos e queijo ao entrar na Penitenciária da Papuda.

Em virtude de ter sido flagrado com alimentos na roupa durante a revista, o deputado terá que passar sete dias em regime de isolamento. Ele está preso no Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal e cumpre pena em regime semiaberto, ou seja, só vai ao presídio para dormir.

O flagra aconteceu no domingo, 19, quando os agentes penitenciários encontraram em seu poder, escondidos na cueca, dois pacotes de biscoito e um queijo provolone. Ele, que é conhecido como deputado presidiário, foi imediatamente levado para o isolamento.

Celso cumpre pena por ter sido condenado a sete anos de prisão em um processo de fraude em licitação na prefeitura de Três Rios/RJ, quando era prefeito. Atualmente trabalha na Câmara dos Deputados durante o dia e retorna ao presídio à noite, para cumprimento da pena.

Os responsáveis pela VEP (Vara de Execuções Penais) do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios instauraram inquérito disciplinar para apurar o caso, e informaram que a punição para esses casos pode chegar a 30 dias de isolamento, além de perda dos benefícios.

A entrada de internos com qualquer objeto ou alimento no presídio sem autorização é proibida, segundo informação da Secretaria de Estado da Segurança Pública, que deixou claro que a entrada de alimentos autorizados só é possível por meio da família, durante o período de visitas.


Chuvas provocam enchentes no interior e na sede a situação é de alerta geral

Situação do Rio Itaúnas próximo à ponte, no centro da cidade O Córrego Tatu, no Distrito de Santo Antônio, em Barra de São Francisco...

Postagens mais visitadas